Imagem retirada de https://exame.abril.com.br/negocios/dino/o-5g-e-a-mudanca-da-experiencia-na-internet/

Operadoras como a Xiaomi, LG, ZTE, Motorola e Samsung estão expandindo as funções dos seus equipamentos para inserir a tecnologia em seus aparelhos, a conectividade 5G chega ao mercado com a premissa de ser revolucionária.

O 4G proporciona a conexão entre pessoas, o 5G vai abranger essa conexão de forma significante, conectando os usuários com as coisas que os rodeiam. A BBC News Mundo conversou com especialistas para saber quais serão as 3 maiores vantagens da quinta geração da rede móvel.

Maior velocidade: 5G em seu potencial máximo será capaz de oferecer uma velocidade padrão de 20 Gbps, comparado ao 4G que é a tecnologia atual que em seu potencial máximo atinge 1 Gbps, se trata de uma conexão 19 vezes mais rápida segundo o órgão regulador britânico Ofcom. A latência com o 5G será reduzida a um milissegundo – um ganho significativo comparado aos 20 segundos da rede 4G.

Economia de bateria: Qalcomm, a fabricante de chips, informou que a bateria dos primeiros modens para o 5G duraria o dia todo. Os modelos seguintes, inevitavelmente aumentam esse potencial e irão ser mais eficientes em relação ao consumo de energia. A vida útil dos aparelhos celulares irá ser maior e cria também a possibilidade de ter aparelhos mais finos que os atuais.

Cobertura: a infraestrutura 5G permite que mais aparelhos estejam conectados ao mesmo tempo e maior potência, isso ajuda a eliminar completamente ou reduzir de forma significativa o gargalo eletromagnético em grandes aglomerações que é tão comum atualmente. De acordo com a União Internacional de Telecomunicações, a agencia da Organização das Nações Unidas (ONU) especializada em novas tecnologias, acredita que a nova infraestrutura ofereça suporte para casas inteligentes, edifícios e irá ampliar o uso de realidade virtual para cirurgias remotas.

O Brasil está se preparando para receber a tecnologia em 2020, o processo de licitação está previsto para março do ano que vem. A Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações) anunciou em abril de 2019 como será o modelo para a licitação no Brasil. Uma consulta pública será aberta e aprovada pelo conselho da Anatel, após isso, os preços a serem cobrados serão revelados.

fonte: Exame.com

RGB Comunicação